Atendimento Presencial
Seg a Sex das 08h às 18h
  Sáb das 8h às 13h

Atendimento online
Agende sua teleconsulta
Clique aqui

Osteoporose tem cura?

A osteoporose é uma doença que ainda não tem cura. O principal objetivo do tratamento é a prevenção das fraturas, agindo para retardar a perda ou para aumentar a massa óssea. 

Ela é caracterizada pela redução da massa óssea, que levam à fragilidade dos ossos e, consequentemente, ao significativo aumento da susceptibilidade a fraturas, que acometem com mais frequência a coluna,  o punho, a bacia e o braço. 

Normalmente, o tratamento para osteoporose inclui um estilo de vida saudável e, quando necessário, o uso de medicamentos.

Osteoporose: como prevenir fraturas

O primeiro passo para prevenir fraturas, em pacientes com osteoporose, é adotar algumas medidas para um estilo de vida mais saudável. Entre eles estão: 

  • Ingestão de alimentos ricos em cálcio (leite e seus derivados) e vitamina D (ovo, salmão, atum);
  • Prática de exercícios físicos de leve impacto, como natação, caminhada e dança. Isso porque eles estimulam a formação óssea e previnem a reabsorção;
  • Exposição ao sol de manhã ou no final da tarde, durante 10 ou 15 minutos, sem protetor solar, pois os raios ultravioletas promovem a síntese da vitamina D3;
  • Controle do consumo de cafeína;
  • Redução da ingestão de bebidas alcoólicas;
  • Não fumar, pois um fumante pode perder 1% de massa óssea por ano.

Em alguns casos, o especialista pode indicar o tratamento com terapia medicamentosa. Além da suplementação de cálcio e vitamina D, outros remédios que ajudam a reduzir o número de fraturas são: bisfosfonatos, terapia de reposição hormonal, calcitonina, raloxifeno, ranelato de estrôncio, denosumabe, teriparatida e ácido zoledrônico.

Sintomas da osteoporose

Na maioria das vezes, a doença é assintomática. Sendo assim, a primeira manifestação pode ser a dor decorrente de uma fratura de um osso poroso e fraco, quando o estágio da doença está avançado. 

Fatores de risco

Existem diversos fatores que podem aumentar o risco da doença, dentre eles, idade, sexo feminino, etnia caucasiana ou oriental, presença de pessoas com osteoporose na família, baixa densidade óssea no colo de fêmur, baixo índice de massa corporal, uso prolongado de corticoides, tabagismo, etilismo, sedentarismo, baixa ingestão dietética de cálcio, deficiência de estrogênio (hormônio feminino), baixa exposição à luz solar, doenças endócrinas e reumáticas, entre outros.

Podemos dizer que a osteoporose é a causa mais frequente de fraturas em idosos. Para se ter ideia, ao redor dos 25 anos, a pessoa atinge o nível máximo de densidade óssea. Com a idade, ocorre uma perda gradual de 0,3% a 0,5% de massa óssea por ano. 

Portanto, se você ou um familiar possui osteoporose, consulte um médico e siga as recomendações. Por outro lado, se você ainda tem ossos fortes, comece já a cuidar da sua saúde para mantê-los o mais saudáveis possível e, assim, reduzir os riscos de ser acometido pela doença. 
Para agendar uma consulta com um especialista, acesse o site da Clínica Paulista.

CHAT
ONLINE