Atendimento Presencial
Seg a Sex das 08h às 18h
  Sáb das 8h às 13h

Atendimento online
Agende sua teleconsulta
Clique aqui

Fratura do punho e formas de tratamento

Existem diversos tipos de fraturas do punho, porém as mais comuns são as do rádio distal (osso que se estende pela parte lateral do antebraço e vai do cotovelo até o punho). Normalmente, ela ocorre em quedas nas quais há impacto no punho. 

Dentre as principais fraturas do rádio estão:

  • A fratura de Colles: quando o fragmento fraturado do rádio desvia-se para cima;
  • Fratura intra-articular: fraturas que se estendem à articulação do punho;
  • Fratura extra-articular: fraturas que não se estendem à articulação são chamadas de fraturas extra-articulares;
  • Fratura aberta: quando um osso fraturado rompe a pele, a fratura é chamada de fratura exposta. Esses tipos de fraturas precisam de atenção médica imediata por causa do risco de infecção;
  • Fratura cominutiva: quando um osso é quebrado em mais de dois pedaços, a fratura é chamada de fratura cominutiva.

É importante classificar o tipo de fratura, pois algumas fraturas são mais difíceis de tratar que outras. As fraturas intra-articulares, as fraturas expostas e as fraturas cominutivas, por exemplo, são mais difíceis de tratar.

Geralmente, o punho quebrado causa dor imediata, dor à palpação, hematoma, inchaço e deformidade.

Tratamento de fratura do punho

O diagnóstico da fratura de punho é feito por meio de exame clínico e raios X. E o tratamento pode ser cirúrgico ou não.

Tratamento não cirúrgico

Se o osso quebrado estiver em uma boa posição, é possível usar gesso até que o osso consolide.

Caso a posição do osso não for a correta e houver chance de isso limitar o uso do braço no futuro, pode ser necessário realinhar os fragmentos do osso quebrado (redução). Se o osso é realinhado sem que seja preciso cortar a pele (incisão), a redução é chamada de redução fechada.

Uma vez que o osso está alinhado corretamente, uma tala ou gesso podem ser colocados no braço. 

Tratamento cirúrgico

Quando o osso está muito fora do lugar e não pode ser corrigido ou mantido na posição correta com o uso de gesso, é necessário fazer a cirurgia. 

Dependendo da fratura, há várias opções para manter os ossos na posição correta até a consolidação: gesso; pinos metálicos (normalmente de aço inoxidável ou titânio); placa e parafusos; fixador externo (uma estrutura estabilizante colocada do lado externo do corpo para segurar os ossos na posição correta para que possam consolidar); ou ainda uma combinação dessas técnicas.

Quando há uma fratura exposta, é preciso realizar a cirurgia o mais rápido possível (em até 8 horas depois da lesão). 
Em caso de suspeita de fratura no punho, é fundamental procurar a ajuda de um ortopedista especialista nessa área. Para agendar uma consulta com um profissional qualificado, entre em contato com a Clínica Paulista.

CHAT
ONLINE