Atendimento Presencial
Seg a Sex das 08h às 18h
  Sáb das 8h às 13h

Atendimento online
Agende sua teleconsulta
Clique aqui

Bursite de ombro

A bursite de ombro é a inflamação da bursa subacromial caracterizada por apresentar dor ao realizar movimentos de ombro. Ela pode ser subdividida em:

  • Bursite Aguda: dor intensa ao levantar o ombro, o que torna o movimento muito restrito e extremamente desconfortável.
  • Bursite Crônica Primária: esse tipo de bursite pode ser causada pelas mudanças degenerativas (especialmente do músculo supraespinhal e da articulação acromioclavicular) ou por doenças sistêmicas (como a artrite reumatoide). A dor desse tipo de bursite se desenvolve de forma gradual, podendo irradiar para a parte superior do braço.
  • Bursite Crônica Secundária: é mais comum do que a primária, resultante de outras patologias do ombro como a ruptura do ligamento coracoumeral medial. A dor se desenvolvendo gradualmente no ombro e podendo se irradiar para a parte superior do braço.

Causas da bursite de ombro

Sabemos que a articulação do ombro é uma área sujeita a repetidas pressões durante o movimento. Sendo assim, a bursite de ombro é uma condição inflamatória que tem como causa os microtraumatismos diretos por contusão, indiretos por quedas com apoio palmar, por movimentos repetitivos e por doenças associadas. 

As principais causas da bursite subacromial são:

  • Atividade excessiva do ombro;
  • Ombro em movimento de hiperabdução prolongada;
  • Ruptura do supra-espinhal, infra-espinhal ou porção longa do bíceps;
  • Luxação acromioclavicular;
  • Fratura do troquiter;
  • Irritação na região da bursa pela presença de osteófitos;
  • Aderência;
  • Paciente crônico no leito;
  • Alterações e inflamações no geral.

Sintomas da bursite de ombro

O principal sintoma da bursite de ombro é a dor aguda. Dependendo do tipo de bursite, ela pode se irradiar para a região cervical, para o braço, antebraço e até dedos.

Na bursite aguda é comum o paciente sentir dor de intensidade progressiva, que começa no ombro e depois irradia para o braço até o punho. Ela é mais intensa nos primeiros dez dias, levando a cura espontânea em aproximadamente seis semanas.

Tratamento da bursite de ombro

O tratamento da bursite de ombro varia de acordo com o tipo. Durante a fase aguda é necessário realizar o repouso do ombro acometido, com o uso da tipoia para evitar a irritação contínua da bolsa subacromial. Entretanto, para evitar a aderência dos tecidos, é importante realizar exercícios de movimento controlado para manter a amplitude normal de movimento e diminuir a dor.

Para controlar a dor na fase aguda são indicados o uso de anti-inflamatórios, além de recursos físicos como crioterapia, eletroterapia, laser e outros.

Na fase subaguda o objetivo é recuperar a função sem que haja irritação da bursa. Os exercícios ativos podem ser iniciados e a progressão deve ser feita com cuidado, sempre evitando a dor.

A fisioterapia na bursite subacromial também é importante para diminuir a dor, a inflamação e restabelecer os movimentos para que o paciente possa voltar a ter novamente o movimento funcional de ombro sem dor.

CHAT
ONLINE